Ligando os Pontos do Universo Tarantino

Você sabia que todos os filmes de Quentin Tarantino fazem parte do mesmo universo? Existem algumas coisas que todo mundo sabe sobre Quentin Tarantino: 1) Ele é um gigantesco...

bruce-quinta-dimensao-01

Você sabia que todos os filmes de Quentin Tarantino
fazem parte do mesmo universo?

Existem algumas coisas que todo mundo sabe sobre Quentin Tarantino:
1) Ele é um gigantesco nerd de cinema.
2) Ele é obcecado por pés.
3) Ele adora quadrinhos. Por que isso é importante?

Porque as HQs influenciaram o diretor a criar uma gigantesca continuidade entre todos os seus filmes. Já que estamos na véspera da estreia de Os Oito Odiados, seu mais novo longa, vamos explorar como ele criou um gigantesco universo entre seus filmes?

Todos os seus personagens são obcecados por Cultura Pop.

Uma das características mais marcantes dos filmes de Tarantino e seu “Tarantinoverso” é como até o criminoso mais casca grossa gosta de passar seu tempo discutindo cinema obscuro e a discografia da Madonna. Naturalmente, Quentin nunca disfarçou sua arrogância e sua necessidade de ostentar conhecimento, mas talvez exista um motivo mais interessante. Lembram de Bastardos Inglórios? Especialmente, esta cena?

No mundo real, Hitler cometeu suicídio em um bunker enquanto as forças aliadas invadiam Berlin. No Tarantinoverso, ele foi brutalmente baleado em Paris durante a exibição de um filme / propaganda nazista. O diretor criou aqui um universo onde o cinema foi o palco final de um dos ditadores mais brutais do século 20, onde sua tentativa de promover suas atrocidades em formato de filme terminaram com uma gigantesca explosão de justiça e nitrato. Será que, com um evento histórico gigantesco destes, o mundo inteiro não saiu um pouco mais interessado em discutir entretenimento com a mesma paixão de política?

Ok, é um pouco viajado, mas vale notar também que:

Personagens se relacionam fora das telas.

O grandalhão matando Hitler na imagem acima é o Sgto. Donny Donnowitz, o Urso Judeu. Seu filho aparece em Amor à Queima-Roupa. No filme, Clarence Worley e Alabama Whitman tentam vender cocaína roubada para um produtor de cinema chamado Lee Donowitz. Será que ele entrou para a indústria por causa da história de seu pai?

tarantinoverse-true-romance-lee-donowitz

Saul Rubinek em ‘Amor à Queima Roupa’ de 1993, longa dirigido por Tony Scott com roteiro de Quentin Tarantino

Ainda no mesmo filme, temos a prostituta Alabama. Em Cães de Aluguel, Mr. White fala de uma antiga aprendiz / prostituta que ele conhecia chamada… Alabama. Ainda no mesmo filme, temos Vic “Mr. Blonde” Vega, que é irmão de…

tarantinoverse-pulp-fiction-mia-wallace-vincent-vega-quentin-tarantino

Uma Thurman e John Travolta em ‘Pulp Fiction: Tempo de Violência’ de 1994, dirigido e roteirizado pelo Tarantino

Vincent Vega, que leva a patroa de seu chefe Marcelus Wallace, Mia Wallace para uma noite de diversão que termina… mal. Nesta noite, Mia fala que participou da gravação de um piloto de programa de TV chamado Fox Force Five. Uma série sobre um esquadrão de assassinas especialistas. Parece familiar? Vamos lembrar o que Mia falou sobre a série:

“A loira era a líder.”

tarantinoverse-elle-driver-kill-bill-quentin-tarantino

Daryl Hannah em ‘Kill Bill: Volume I’ de 2003

“A Fox japonesa era uma mestre de kung-fu”

tarantinoverse-o-ren-ishii-kill-bill-quentin-tarantino

Lucy Liu em ‘Kill Bill: Volume I’ de 2003

“A garota negra era uma especialista em demolição,”

tarantinoverse-vernita-green-kill-bill-quentin-tarantino

Vivica A. Fox em ‘Kill Bill: Volume I’ de 2003

“A especialidade da Fox francesa, era sexo.”

tarantinoverse-sofie-fatale-kill-bill-quentin-tarantino

Julie Dreyfus em ‘Kill Bill: Volume I’ de 2003

“A personagem que eu interpretei era a mulher mais mortífera do mundo com uma lâmina.”

tarantinoverse-beatrix-kiddo-kill-bill-quentin-tarantino

Uma Thurman como Beatrix Kiddo em ‘Kill Bill: Volume I’ de 2003

Quer dizer então que os eventos de Kill Bill nunca “aconteceram”? E tudo isso foi só uma série de televisão? Ou será que foi um universo imaginado por Mia Wallace enquanto ela tinha uma overdose? Ela sonhou com sua vida caso o programa de TV fosse um sucesso? Talvez não, porque em Kill Bill: Volume 2, Beatrix Kiddo é enterrada viva, no túmulo de Paula Schultz.

tarantinoverse-beatrix-kiddo-kill-bill-paula-schultz

Uma Thurman como Beatrix Kiddo em ‘Kill Bill: Volume I’ de 2003

A falecida esposa do Doutor King Schultz de Django Livre. Mesmo assim, o negócio é complicado. Especialmente porque…

Segundo Tarantino, existem dois Universos.

O próprio Tarantino confirmou que sua obra existe em dois Universos diferentes: O “Realer than Real” (“Mais Real que Real”) que conta com os filmes onde seus personagens “existem” e o “Movies movie” (“filmes de filme”), que são os filmes que seus personagens “assistem”. Ele mesmo já confirmou que Kill Bill e Um Drink no Inferno fazem parte do segundo. É por isso que no Tarantinoverso, ninguém parece se preocupar com a existência de vampiros e, talvez por isso, Butch Coolidge se inspirou nas aventuras de Beatrix Kiddo para pegar a katana na hora de salvar Marcelus Wallace.

tarantinoverse-butch-coolidge-pulp-fiction-quentin-tarantino

Bruce Willis em ‘Pulp Fiction: Tempo de Violência’ de 1994

 E como ‘Django Livre’ entra na história então?

Bom, se a única conexão de Django Livre é o túmulo de uma suposta personagem real que só aparece em uma série de TV, o filme também é do universo de filmes? Mais ou menos. A primeira recompensa de Django Freeman envolve a gangue de Smitty Bacall. Lembra daquele bandido que ele mata de longe na colina? O nome dele é “Crazy Craig Koons”.

tarantinoverse-sargent-coons-pulp-fiction-django-livre-quentin-tarantino

A direita: Christopher Walken em ‘Pulp Fiction: Tempo de Violência’ de 1994 e a esquerda: cena de Django Livre de 2012

Ancestral do Sargento Koons, que passou a Guerra do Vietnam como prisioneiro de guerra com o relógio do pai de Butch Coolidge enfiado na bunda. 

Se você quiser assistir os filmes que fazem parte do “Tarantinoverso” em uma ordem “cronológica”, fica aqui a nossa sugestão:

1 – Django Livre, 2012
2 – Bastardos Inglórios, 2009
3 – Cães de Aluguel, 1992
4 – Amor à Queima Roupa, 1993
5 – Kill Bill: Volume I, 2003
6 – Kill Bill: Volume II, 2004
7 – Pulp Fiction: Tempo de Violência, 1994

Jackie Brown de 1997,  não aparece no “Tarantinoverso” por ser uma adaptação do romance de Elmore Leonard e À Prova de Morte de 2007,  só é conectado por meio das marcas que sempre estão presentes nos filmes do diretor, como Big Kahuna Burguer e cigarros Red Apple

Agora basta esperar para ver como Os Oito Odiados fará parte do universo do Tarantino. Será que os eventos realmente “existiram” ou seria este mais um filme ou série de TV que seus personagens ultra-violentos vão discutir antes de fazer o sangue jorrar? 

Vamos descobrir em breve. O longa estreia no Brasil no dia 7 de Janeiro de 2016 e será distribuído pela Diamond Films.

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
EntrevistasFilmesOpinião

Ver também