Magia ao Luar – Woody Allen sendo o Woody Allen que não conquista

Magia ao Luar tem um bom elenco, mas um roteiro bem fraco! Em um tom decepcionante o novo filme de Woody Allen entrega o que já conhecemos do roteirista...

Magia ao Luar tem um bom elenco, mas um roteiro bem fraco!

Em um tom decepcionante o novo filme de Woody Allen entrega o que já conhecemos do roteirista e diretor. Apesar de um bom elenco, Magia ao Luar tem uma premissa simples que é má desenvolvida ao longo do filme. Colin Firth interpreta Stanley Crawford, um falso mágico que tem o poder de desmascarar charlatões. Seu amigo, também mágico, Howard Burkan (Simon McBurney) o convida para viajar até o sul da França para conhecer uma jovem chamada Sophie (Emma Stone) que afirma ser médium.

Descrente dos poderes da jovem, Stanley se aproxima dela para tentar desvendar sua falcatrua. Com uma postura muito cética, presunçosa e arrogante, Stanley desafia a todo momento os conhecimentos intelectuais e espirituais de Sophie, que acaba se revelando como uma jovem de pouca cultura porém muito meiga e delicada e capaz de driblar o que lhe falta de conhecimento.

Com longos diálogos hiperbólicos para tratar uma temática tão simples, Woody Allen apresenta um roteiro fraco e cansativo. O filme se arrasta em alguns momentos para tentar desenrolar a estrutura psicológica dos personagens. Allen se preocupa em construir e desconstruir de forma muito rápida o lado falso dos protagonistas, o que gerou um Colin Firth apagado e uma Emma Stone forçada. O romance entre os dois é tão implícito que o segundo ato do longa, momento em que a receita do bolo levaria os personagens à descoberta dos sentimentos, é sem graça, sem química e ofuscado pela personalidade egocêntrica e rude de Stanley.

Apesar de não ter um final surpreendente, Magia ao Luar é muito bem dirigido. Woody Allen usa uma técnica de enquadramento dos personagens durante o diálogo que valoriza a ambientação. A câmera se aproxima dos personagens bem devagar, num take único e sempre de forma frontal, sem corte ou troca de ângulo. Podemos observar esse estilo de filmagem em longas dos diretores Stanley Kubrick, Wes Anderson e David Lynch. A paisagem de Magia ao Luar também é espetacular, afinal, quem não gostaria de se apaixonar sob o céu estrelado da França em 1928?

Vale a pena conferir o filme no cinema? Se você é fã de Woody Allen, com certeza. O filme traz todas as características do diretor que criou sua legião de admiradores, porém se você for assistir por curiosidade, prepare-se para bocejar entre poucos momentos engraçados da trama. O longa ainda conta Ellen Atkins, Marcia Gay Harden, Jacki Weaver (O Lado Bom da Vida) e Catherine McCormack (Jogo de Espiões).

Magia ao Luar estreia dia 28 de Agosto em todos os cinemas brasileiros.

Até a próxima.

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
Criticas

Ver também