O Príncipe do Natal: O Casamento Real

Espera... fizeram uma continuação de O Príncipe de Natal?

O Príncipe de Natal: O Casamento Real já está na Netflix!

O Príncipe de Natal: O Casamento Real é consideravelmente melhor que O Príncipe de Natal, e isso é parte do problema

Ano passado, um pequeno filme da Netflix chamado O Príncipe de Natal fez um certo estardalhaço ao misturar uma certa abordagem “blasé” na qualidade geral da produção e uma tendência à colecionar clichês de comédia romântica como um pirata com transtorno de acumulação compulsiva. Mesmo assim, por alguns dias, deu o que falar. Tanto foi seu sucesso que surgiu uma continuação, O Príncipe de Natal: Casamento Real!

Finalmente perguntas como por que? Hein? Esse não é aquele filme com a Julia Stiles? Esse não é aquele filme com a Anne Hathaway? Serão respondidas.

O Príncipe de Natal 2

Passou-se um ano daquele Natal “conturbado” onde Amber (Rose McIver) se apaixonou por Richard PríncipeDeNatal (Ben Lamb) e ajudou-o a preservar o trono e manter a sucessão. Um ano depois, ela segue como uma blogueira bem sucedida que se dedica a relatar o dia a dia da família real e seus preparos para o casamento para seus milhões de leitores. No Príncipedenatalverso, o dia a dia de uma família de monarcas em um país do tamanho de Mônaco são seguidos com afinco por milhões de leitores interessados.

Amber e Richard vão se casar próximo ao natal. Richard lidera uma iniciativa para modernizar a Aldovia, mas isto leva o país em crise, sindicatos entram em greve e a infraestrutura do país começa a ruir. Enquanto isso, Amber tem que lidar com um organizador de casamentos que não quer deixa-la usar tênis na cerimônia. O problema da noiva é tratado com um pouco mais de seriedade.

Amber ao resgate!

Amber suspeita que existe falcatrua nos projetos de obras públicas de Richard e decide investigar. Ela junta Melissa e Andy (Tahirah Sharif e Joel McVeagh), seus amigos clichê obrigatórios de comédia romântica que aparecem por 3 minutos no filme anterior, a princesa Emily (Honor Kneafsey), que neste filme se tornou uma hacker e Simon (Theo Devaney), o vilão do primeiro filme que volta nesse filme porque o elenco não era tão grande assim e os novos personagens são meio bunda.

O Príncipe de Natal: O Casamento Real

Toda a gangue do Scooby Doo está reunida! (PS.: 3 pessoas em cena e 4 xícaras de chá (talvez))

Aliás, vamos falar dos personagens novos. Primeiro temos Sahil (Raj Bajaj), o organizador de casamentos que trata Amber com todo deboche e indiferença de um estúdio obrigando uma atriz a estrelar um filme chamado O Príncipe de Natal. Ele é exaustivo, e não faz muito sentido como personagem, um fator feliz, porque Príncipe de Natal só funciona quando nada faz sentido.

O Príncipe de Natal: O Casamento Real

Sério, esse cara cansa…

O outro personagem é um assessor da rainha Helena que meio que parece o Héctor Elizondo, porque rolou uma subtrama dessas no Diário de Princesa, mas um Héctor Elizondo de marca sai muito caro, então optaram pelo genérico mesmo.

O “pobrema”

O problema de O Príncipe de Natal 2: O Império Contra-Ataca é que ele é muito caprichado. Convenhamos, esses filmes de natal são muito mamão com açúcar, mas o que destacava O Monarca no Aniversário de Cristo é que ele era incompetente o suficiente para ser bizarramente cativante. Já O Príncipe de Natal: A Vingança tem um roteiro relativamente bem amarrado (pra padrões de filme de natal da Netflix) e uma direção até que competente (pra padrões de filme de natal da Netflix).

Então no final, o que sobra? Um filme xoxo de natal? Um romance meio previsível? Uma crítica velada sobre o lado negro de uma monarquia essencialmente estadista em um mundo pós-globalismo?

E porque todos estão dançando conga? Alô? Tem alguém aí???

Bom, a gente se vê ano que vem em O Príncipe de Natal 3: O Primeiro Bebê.

Ah! Foi por causa do sucesso cult de O Príncipe de Natal que a Netflix lançou um monte de filmes de natal. Se essa é a sua praia, deixamos aqui uma lista dos filmes que já cobrimos este ano:

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Nota
7.3
Nota
O bom
  • Todo mundo termina com um interesse amoroso, isso é... algo?
O ruim
  • Sério, por que conga?
  • Não existe nenhum clichê de comédia romântica que essa série não drena até o talo.
  • Direção
    6
  • Roteiro
    7
  • Enredo
    6
  • Elenco
    10
Categorias
CriticasFilmes

Ver também