Netflix se torna o maior canal mundial de séries

Netflix se torna o maior canal mundial de séries

A Netflix se tornou o maior acervo de séries internacionais. Veja aqui mais sobre as séries internacionais na Netflix e seu impacto no mercado de conteúdo....

A Netflix abre a porta para os brasileiros conhecerem séries feitas em países distantes da nossa realidade, mas são muito boas.

Assistir uma série de tv feita na Islandia, ou India, ou falada em Mandarim, uma das línguas faladas na China, ou mesmo uma série sobre liberdade de imprensa feita na Croácia. Tudo isso é possível hoje por causa da globalização,  melhor dizendo, ao trabalho de curadoria que a Netflix vem fazendo no mundo inteiro buscando produções locais que possam interessar aos seus assinantes, independente do país que esteja acessando o canal mundial de TV.

Chegada das séries internacionais

Durante décadas, a grande base de séries exibidas na TV brasileira era feita por produções americanas. Nos anos 60, chegaram séries inglesas como Thunderbirds e Danger Man, japonesas como National Kid e Ultraman, a francesa As Aventuras de Saturnino, um movimento que ganhou com mais força quando a TV por Assinatura chegou no Brasil nos anos 90. O motivo é simples: existia muita oferta e pouco conhecimento desses conteúdos nos mercados internacionais de aquisições para a TV. Se a série tinha apelo, por que não trazer para o Brasil?

E ai chegaram série alemãs de ação e espionagem no Teleuno (hoje AXN), como Helicops e The Clown, francesas como Clara Sheller (A&E) e Hospital (Eurochannel), e da suécia Wallander (Film&Arts) e The Forbrydelsen, exibido pelo Mais Globosat, e que depois ganhou a versão americana batizada de The Killing.

Entra o streaming

Para quem hoje se interessa em conhecer a dramaturgia de países de língua não inglesa, a Netflix faz com seu assinante uma volta ao redor do mundo com o acervo bem interessante de produções estrangeiras. E não só isso, o canal também vem produzindo séries na língua local como é o recente projeto Triad Princess (Princesa da Tríade), feita em Mandari.

A série, a segunda feita em mandarim depois de Nowhere Man, também disponível pela Netflix, começa a ser produzida em Taipei. Ela é estrelada por Eugenie Liu, um dos grandes nomes do cinema e da TV da região. No filme, ela interpreta Angie, uma destemida garota que consegue escapar das sombras ligadas ao pai mafioso, conseguindo um emprego de guarda-costas de uma famosa atriz de cinema.

Do Oriente Médio vem Justice, a primeira série produzida pela Netflix nos Emirados Árabes Unidos. A série mostra uma jovem advogada (Fatima Al Taej), que volta para seu país após conseguir um mestrado em Direito nos Estados Unidos. Mas no lugar de entrar para a firma da família, ela decide seguir seus próprios passos. O curioso é que a produção, que terá 18 episódios, é assinada por William Finkelstein, que já trabalhou em Nova York Contra o Crime. De Israel, vem Fauda, que quer dizer em árabe Caos, sobre os dois lados do conflito entre israelenses e palestinos.

As séries espanholas também tem tido grande aceitação dentro do acervo da Netflix e com gêneros bem variados. O suspense Casa de Papel foi um dos grandes sucessos do canal, que ainda tem a série Ministério do Tempo, ficção sobre um departamento do governo espanhol que cuida de evitar que pessoas mudem a história do país. Tem o suspense juvenil Elite e também a produção de época, As Telefonistas, um drama que se passa nos anos 40.

Os mexicanos também estão bem representados com a divertida história de um time de futebol em Clube del Cuervos, o ponto de vista feminino sobre os bastidores do governo mexicano em Ingovernable, estrelada por Kate Del Castillo. E também A Casa das Flores, uma comédia com doses de drama sobre uma família de classe alta que tem que lidar com problemas de sexualidade entre seus membros.

Tem seriado feito na Islândia também. Trapped sobre a tentativa de desvendar um crime antes que uma furiosa tempestade chegue à pequena ilha da costa islandesa. Para aproveitar o frio daquela região, tem o suspense policial Deadwind, feito na Finlândia. Sem contar Jogos Sagrados, primeira produção original da Netflix feita na India, trazendo um drama policial com doses de suspense, onde o personagem principal tem poucos dias para descobrir por que Bombaim vai acabar. E ainda tem produções da Alemanha, Suécia, Noruega, Canadá, Australia, além de coreanas e japonesas.

Quem quiser fazer a volta ao mundo em 80 séries, não precisa de passaporte.

Comente via Facebook!
Categorias
BESTV

Ver também