Nós assistimos o Príncipe do Natal e queremos conversar sobre isso

O Príncipe do Natal é muito mais que um filme genérico de Natal Ah, o Natal. Aquela época mágica onde seu estoque de meias é renovado, o arroz inexplicavelmente...
O Príncipe do Natal

O Príncipe do Natal é muito mais que um filme genérico de Natal

Ah, o Natal. Aquela época mágica onde seu estoque de meias é renovado, o arroz inexplicavelmente tem passas e seus parentes vão se comunicar exclusivamente via indiretas maldosas ou discussões alcoolizadas. Se você tentou achar um refúgio por algumas horas para evitar que sua tia se gabe do seu primo que passou no concurso, provavelmente se trancou no banheiro para assistir Netflix (é como 90% do trabalho da Freakpop é feito). E nesta jornada no amplo catálogo do serviço de streaming, você pode ter visto um pequeno filme chamado O Príncipe do Natal. Você viu? Você não viu? Calma. Vamos falar sobre isso.

O que [email protected] é “O Príncipe do Natal”?

Em torno do nascimento do nosso messias e salvador é comum que vários distribuidores e estúdios produzam filmes baratos para infectar as emissoras para manter o espírito natalino aceso enquanto nos recuperamos da ressaca/consumir 3kg de Chester. São filmes com premissas açucaradas, com uma lição de moral gritante e geralmente uma preguiça contagiante. Para entender O Príncipe do Natal, vamos ter que ir com calma, as águas são profundas e estranhas e ,além disso, mantenha em mente que este filme é um perfeito 50 Tons de Cinza ao contrário. Avante.

Nossa protagonista é Amber (Rose McIver). Ela é a Personagem Principal de Comédia Romântica Padrão™, ela usa tênis all stars para mostrar para vocês meninas, que ela também é acessível. Ela também trabalha como jornalista, um dos três empregos aceitáveis para personagens neste tipo de universo (os outros dois são dona de confeitaria ou algo envolvendo televisão) e, naturalmente, ela possui uma amiga negra e um amigo gay que existem apenas como suporte técnico em sua vida.

O Príncipe de Natal

Note que ele usa uma gravata borboleta, o uniforme oficial do melhor amigo gay em todas as comédias românticas.

Amber trabalha na revista Now Beat… ou Beat Now, alguma coisa do gênero. Uma publicação que fala sobre o mundo das celebridades, como é possível notar nesta capa que aparentemente a editora tem muito orgulho, que apenas diz POP SINGER.

O Príncipe do Natal

“RÁPIDO! Como informamos ao público que nossa capa canta música pop?!!”

Ela ganha uma senhora chance no emprego quando surge a oportunidade de cobrir a sucessão do trono da Aldovia, um pequeno país fictício europeu que é completamente diferente da Genovia, o pequeno país fictício europeu que aparece em O Diário de Princesa. Como todos sabem, revistas de fofoca de celebridade direcionadas à adolescentes cobrem essencialmente duas coisas: astros pop do momento e impactos políticos e socio-econômicos de transições monárquicas em regimes parlamentares na Europa.

As coisas na Aldovia estão complicadas. O Príncipe Richard, que podemos brilhantemente deduzir que também é O Príncipe do Natal, não quer assumir o trono. Ele acha que não é digno de assumir o cargo de seu pai, completamente não entendendo como monarquias funcionam. A coletiva de imprensa é cancelada e Amber consegue passar um tempo passeando no castelo tirando fotos de armaduras em modo retrato, algo que claramente pode aparecer na capa da Beat Now / Now Beat com o título “MEDIEVAL ARMOR”.

O Príncipe de Natal

Claramente uma informação importante para a matéria.

Amber é pega e finge ser a nova tutora da Princesa Emily (Honor Kneafsey), a irmã caçula de Richard que tem cabelos cacheados, anda de muletas e quer ser tratada como uma criança normal. Um filme de natal não é filme de natal até aparecer pelo menos uma criança com deficiência física para os protagonistas mostrarem que seus corações são puros. Emily é esperta e descobre a verdade sobre Amber, mas promete manter seu segredo se ela escrever uma matéria mostrando que Richard não cometeu todos os escândalos que a imprensa vive escrevendo. Ah sim, aparentemente Richard é uma figura polêmica que adora festejar, eu tinha esquecido de falar isso né?

Assim como Oliver Queen e Danny Rand, Richard volta pra casa com aquela barba estilo “passei 10 anos nas montanhas”.

Aproveitando sua posição privilegiada, Amber sutilmente captura informações sobre a família real.

O Príncipe de Natal

“Sutilmente.”

Aos poucos e por meio de diversas cenas que você viu em filmes melhores, Amber descobre que Richard “O Príncipe do Natal” Sobrenome, tem um bom coração. Ele abandona uma coletiva de imprensa para brincar com alguns órfãos, salva Amber de um lobo quando ela cai de um cavalo como em A Bela e a Fera, e ele brinca de bola de neve com Amber… como alguns minutos depois em A Bela e a Fera. Aos poucos, eles se apaixonam e eventualmente vão a um baile junto (o natal na Aldovia parece durar uns 10 dias). Ela vai de vestido, mas usando seus tênis All Star, porque a Hillary Duff fez isso no pôster de A Nova Cinderela e lembra que Amber é igualzinho a vocês assistindo. E eles dançam após descerem uma bela escadaria…Como em A Bela e a Fera.

Ah, o Richard tem um primo que vem de uma nobre linhagem de usurpadores do trono que pretende tomar o poder do país via imitação de Lady MacBeth.

O Príncipe do Natal

Ele é o de cabelo preto.

Bom. O fim é de se esperar. Rola um desentendimento, Amber ajuda a salvar o trono do primo de Richard e a Beat Now/ Now Beat se recusa a publicar a matéria dela por ser açucarada demais. Afinal, eles são a publicação que no começo do filme ia publicar “Sweaters Feios de Natal dos Famosos”, ou seja, uma revista que deve ter pelo menos uns tês Pulitzers ganhos. Com isso, nossa heroína decide abandonar o emprego e começar um blog, onde ela vai escrever a verdadeira história de Richard, apostando que ainda existem pessoas no mundo que leem blogs.

O Príncipe do Natal

Pelo menos não é um podcast.

O artigo viraliza porque, há este ponto, a entropia do universo começou a violar as regras da realidade para terminar o filme e todos vivem felizes para sempre. Com exceção de Emily, porque sua mãe não tomou ácido fólico na frequência certa durante a gravidez.

…….

Ah sim. A Rainha Helena, a mãe de Richard, é interpretada pela Alice Kridge, que também interpretou a Rainha Borg em Jornada nas Estrelas: A Próxima Geração. Bacana né?

!?

E sim, o filme é um 50 Tons de Cinza invertido. É a história de uma jornalista suuuuuper acessível igual à audiência que sofre de dificuldades com expressões faciais que se apaixona por um ricaço com problemas paternais mal resolvidos. Christian tinha uma mãe viciada em crack e Richard tem um pai rei. Christian fode com força, Richard brinca com órfãos (que ambos nunca tentem misturar suas atividades). Christian é todo perturbadão e gosta de dar uns tapas, Richard interrompe o beijo para checar se os cavalos estão bem. É 50 Tons de Açúcar!

E no fim?

No fim, O Príncipe do Natal deixa mais perguntas do que respostas. Como todo filme feito com a velocidade de gravação de um filme pornô, existem inúmeros furos no roteiro e uma tendência quase cleptomaníaca de roubar ideias de outros filmes. Se você gostou de Um Príncipe na Minha Vida, mas prefere a qualidade de Um Príncipe na Minha Vida 4 e com um leve toque natalino, esse filme é para você, pessoa que certamente não existe e jamais existiu.

Alguns leitores vão notar que eu tenho uma predileção quase religiosa por filmes horríveis, e O Príncipe do Natal, com todos os seus momentos onde me vi questionando “POR QUE?!” na tela, certamente atende este quesito. Está achando o filme intragável? Tente assistir com um drinking game. Toda vez que soltarem uma frase que você certamente ouviu em uma outra comédia romântica vire 1 shot, toda vez que aparecer uma cena que você viu em um outro filme, vire 1 shot. Garantimos coma alcoólico nos primeiros 30 minutos.

Até a próxima e Feliz Natal atrasado!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categories
Criticas

RELATED BY