O Apocalipse – Remake de ‘Left Behind’ de 2000

Tem filmes que deveriam ser proibidos de ter um remake, O Apocalise é um deles. Baseado no longa de 2000, Left Behind, O Apocalipse retrata a história de um...

Tem filmes que deveriam ser proibidos de ter um remake, O Apocalise é um deles.

Baseado no longa de 2000, Left Behind, O Apocalipse retrata a história de um piloto de avião (Nicolas Cage) que está em crise no casamento com sua mulher que recentemente passou a se comportar como uma cristã extremamente devota. Para não se indispor com sua esposa,  Rayford Steele (Cage), passa a se ausentar mais. Sua filha, Chloe Steele (Cassi Thomson) acaba de chegar na cidade para o aniversário de seu pai. porém o mesmo aceita fazer um voo entre Nova York e Londres para fugir dos problemas de relacionamento com sua mulher, Irene Steele (Lea Thompson).

No aeroporto, enquanto aguarda seu pai aparecer, Chloe conhece um simpático jornalista. Cameron “Buck” Williams (Chad Michael Murray),  que vai embarcar no voo de Rayford e antes da viagem se envolve em uma discussão sobre uma passagem da bíblia que uma mulher aleatória no local o puxa de canto para conversar. Chloe, que está insatisfeita com o comportamento religioso da mãe e que ao mesmo tempo tenta entender os motivos da mesma, defende Cameron e os dois se afeiçoam antes do rapaz se ausentar.

Com mais evidências de que seu pai está tendo um caso com a comissária Hattie Durham (Nicky Whelan), a jovem debate com o seu pai sobre sua postura e tenta entender, de um ponto de vista de religioso e pessoal, os motivos que levam seu pai a se ausentar de casa cada vez mais. Cameron e Rayford embarcam e Chloe parte para casa ao encontro de sua mãe e seu irmão mais novo. Chegando lá, se depara com objetos religiosos da mãe e em seguida as duas entram em uma discussão sobre a chegada da jovem. Irene afirma que foi Deus quem trouxe sua filha pra casa e não o avião ou a simples vontade da moça de estar em casa.

Ao sair de casa para um breve passeio com seu irmão, o arrebatamento ocorre e a cidade vira um caos total. Chloe busca respostas na cidade enquanto seu pai e Buck tentam salvar o avião que agora está sem o copiloto e dezenas de passageiros. Aos poucos eles começam a perceber que todas as crianças e religiosos foram “levados por Deus”.

De um ponto de vista cinematográfico o filme é preguiçoso, mal dirigido, com cenas de ação de baixíssimo orçamento e um Nicolas Cage depressivo. O longa, que pertence à categoria de filmes de Faith Market (Mercado Religioso), não atende as expectativas de seus fãs. Os longos diálogos que interpretam as passagens bíblicas perdem o foco a partir do momento que o protagonista tem como objetivo salvar as pessoas que estão no avião. Toda a base cristã que é criada nos primeiros e segundos atos, deixam de embasar a trama que, em seu “auge” vira um filme clichê de ação dos anos 90. O arrebatamento e o significado que o evento possui não justificam a louca vontade de Ray e Buck de voltarem para casa à salvo. Chloe, que tem seu suicídio interrompido por uma ligação de seu pai, vira uma espécie de heroína ao liberar uma estrada em manutenção para Ray pousar o avião.

O fim do filme é vago, não possui uma mensagem e simplesmente não agrega em nada. O Apocalipse, que não deveria ter esse nome justamente por não expor o caos mundial causado pelo arrebatamento, só prende a atenção do espectador que fica ansioso por saber se o filme vai melhorar de ritmo e trama ou não. O que já adiantamos, não acontece.

O longa já estreou no Brasil em todos os cinemas. O filme original de 2000, Left Behind (Deixados para Trás) tem um enredo mais estruturado de um ponto de vista religioso e o piloto do avião não é o grande herói, e sim Buck. Se você se interessa pelo tema, vale a pena conferir a série original da HBO The Leftovers.

Até a próxima.

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
Criticas

Ver também