O Filme da Minha Vida conta a história da sua vida

O Filme da Minha Vida é um presente para os admiradores de cinema Um pai, um filho e uma mãe. O cenário? Um pequena cidade sulista na década de 60....

O Filme da Minha Vida é um presente
para os admiradores de cinema

Um pai, um filho e uma mãe. O cenário? Um pequena cidade sulista na década de 60. A trama? Um #jovem abandonado pelo pai. A problemática? Ele era um bom pai. O Filme da Minha Vida é o drama nacional que marca a história do cinema com uma narrativa detalhista, realista e que gera um desconforto na audiência com sutilezas e semelhanças, afinal, O Filme da Minha Vida pode ser o filme da sua vida.

De volta aos anos 60

A vida na roça na década de 60 era recheada de comodismo e baixa ambição. O jovem Tony (Johnny Massaro) é filho da brasileira Sofia (Ondina Clais) e do francês imigrante Nicolas (Vincent Cassel). Juntos, eles levam uma vida confortável de fazenda. Seu pai sempre lhe ensinou a almejar mais do que a vida que ele e sua esposa tiveram. Tony vai estudar na capital, ao retornar, seu pai vai embora sem deixar qualquer tipo de explicação. A facilidade do desapego paternal, o desespero por seu retorno e agonia por respostas abrem espaço para a melancolia. Tony preenche esse vazio tentando #amadurecer.

Ser homem é…

Tony tem uma rotina. Ele dá aulas, fuma, bebe e é companheiro de sua mãe. Encantando por uma jovem, ele procura meios de ser homem para ser homem pra ela. Alguns aprendizados que seu pai deveria ensinar são preenchidos por Paco (Selton Mello), um antigo amigo da família. E em uma viagem de trem, sua vida começa a entrar em novos #trilhos.

O trem que vai e volta

Um antigo maquinista é o zelador de uma grande missão: ele tudo vê, ele tudo sabe e ele leva as pessoas para resolverem algo na cidade próxima. Em busca de experiências, #Tony entra em uma nova #jornada por meio de suas viagens. A cada ida e volta, revelações surgem, esperanças morrem e descobertas o forçam a ser um novo homem. A sutileza principal em O Filme da Minha Vida é a poetização de uma jornada árdua que requer maturidade, coragem e desapego.

No fim…

É muito difícil entrar em detalhes. Este longa evolui a cada minuto e muitas pistas da grande resolução são deixadas para os expectador pensar e imaginar. O filme, cujo roteiro e #direção são assinados por Selton Mello, é todinho trabalhado em referências visuais e um enredo que cresce sem expor de fato o que está acontecendo. A intriga central e as inúmeras #dúvidas, plantadas ao longo da história, fixam a mente de quem assiste. De fato, é uma obra-prima.

Todos os personagens são bem trabalhados. As falas, os trejeitos e suas jornadas individuais se conectam em um magnífico terceiro ato que trilha O Filme da Minha vida para ser O Filme da Sua Vida. É impossível não sentir empatia com algum #arquétipo ou circunstância. De forma “mundial”, se é que podemos definir assim, a história é mais íntima aos olhos de quem vê do que da #interpretação fictícia em si.

Vale a pena?

Permita-se se encantar pela trama, personagens e histórias. Envolva-se e sinta-se desconfortável com a trajetória de um jovem que foi abandonado. Ponha a imaginação para funcionar e entre na sala do cinema com a seguinte pergunta: porque este #projeto é O Filme da Minha Vida?

Estreia dia 3 de agosto nos cinemas.

Küsses,

Categorias
Criticas

"Crítica" de cinema - prefiro 'analista de entretenimento', fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah...#TeamCap

Relacionados