Dia triste para fãs da sétima arte. O ator Peter Fonda, que estrelou o clássico Easy Rider (Sem Destino), faleceu após uma batalha com câncer. Veja aqui

Peter Fonda, ator de Easy Rider, falece

Dia triste para fãs da sétima arte. O ator Peter Fonda, que estrelou o clássico Easy Rider (Sem Destino), faleceu após uma batalha com câncer. Veja aqui...

In Memorian Peter Fonda (1940 – 2019)

Imagino que nunca deve ter sido fácil ser filho do grande Henry Fonda e irmão da ativista e grande atriz Jane Fonda. Mas Peter Fonda acabou seguindo seu próprio caminho dentro da revolucionária contracultura, eternizado em sua principal obra Sem Destino (Easy Rider, 1969), onde recebeu sua primeira indicação ao Oscar pelo roteiro original dirigido pelo amigo Denis Hopper.

Em seu livro de memórias, Peter disse que teve a ideia de um filme sobre sexo, drogas e motocicletas enquanto encarava o posto de seu primeiro filme com o produtor e diretor Roger Corman, Os Anjos Selvagens, um drama sobre jovens motociclistas. Segundo ele, o filme não seria algo sobre uma gangue de motociclistas avançando o sinal para ir no funeral de um amigo. E sim, algo como em Rastros de Ódio, de John Ford, mostrando a incansável busca de John Wayne e Jeffrey Hunter por Natalie Wood.

Antes de embarcar nessa viagem anti-establishment, Peter queria seguir os passos do pai, uma das lendas vivas de Hollywood. Seu primeiro momento como ator foi na peça Blood, Sweat and Stanley Poole, da dupla William e James Goldman, em 1961, pelo qual recebeu o premio de revelação do ano pelo New York Critics Circle.

Já reconhecido pelo talento nato, Peter fez participações especiais nas séries Os Defensores, Caravana e Cidade Nua, antes de trabalhar em seu primeiro filme, a comédia romântica Artimanhas do Amor, onde fazia o par da consagrada Sandra Dee. Voltou a TV para participar de Suspense, série de  Alfred Hitchcock e Almas em Chamas, até ser chamado para fazer Jovens Amantes, em 1964.

Foi nesse ano que conheceu Roger Corman, conhecido como o produtor de filmes B de Terror, de Ficção e com jovens delinquentes. Roger achou que Peter tinha o perfil ideal para seu próximos Os Anjos Selvagens (1966), sobre uma gangue de motociclistas em guerra com a polícia rodoviária da Califórnia.

Seu próximo filme com Corman foi o terror Viagem ao Mundo da Alucinação, lançado em 1968, escrito por Jack Nicholson e onde conheceu o futuro amigo e parceiro Dennis Hopper. Quando terminou, começou a pensar em Sem Destino.

Enquanto desenvolvia as principais ideias do filme com o diretor Dennis Hopper, Peter viajou para a Europa para atuar na antologia Histórias Extraordinárias, onde atuou com a Jane Fonda sob a direção do francês Roger Vadin. Quando voltou, se reuniu com Dennis para fechar o roteiro, algo que nunca aconteceu. Assim como aconteceu no clássico Casablanca, eles tinha a base da história mas foram montando os diálogos conforme a produção avançava. Roger Corman disse que um dos grandes arrependimentos de sua vida profissional foi não ter produzido Sem Destino.

Sem Destino criou vida e ficou maior de que seus criadores, sendo incluído em praticamente todas as listas de grandes momentos do cinema. Fez bem para sua carreira no cinema, dando-lhe independência para escolher que tipo de filme gostaria de fazer. Nos anos 70, além de faroestes como Um Pistoleiro Sem Destino e Wanda Nevada, Peter fez a continuação de Westworld, Mundo Futuro: Ano 2003 Operação Terra. E também atuou nos cultuados Fuga Alucinada (1974) e o suspense de terror Corrida com o Diabo (1975).

Nunca se interessou em super-produções, preferindo estar em filmes onde se sentia bem. Continuava  a viajar pelos Estados Unidos em sua moto, estendendo seus passeios para outros países, como o Brasil. Em 2001 Jô Soares cruzou com Peter e seus amigos motociclistas no interior em Campo Grande do Mato Grosso do Sul. O ator estava participando do Moto Road, um encontro internacional de motociclistas que teve a cidade mato-grossense como sede. Foi a segunda vez que o ator vinha ao país, depois da estreia brasileira de Sem Destino, em 1969.

Nos anos 80 fez pequenas participações em filmes como Quem não Corre,Voa e Lutadores da Liberdade. Nos anos 90, Peter viu sua filha Bridget Fonda abraçar a carreira de atriz com o filme Corpos em Movimento (1993), onde acabou fazendo uma ponta como um motociclista, claro. Foi convidado por John Carpenter para atuar com Kurt Russell em Fuga de Los Angeles, fraca continuação de Fuga de Nova York.

Em 1997, fez o patriarca de uma complicada família em O Ouro de Ulysses, dirigido por Victor Nuñez. A crítica se surpreendeu com seu desempenho, considerando um de seus melhores trabalhos como ator. Foi indicado para o Oscar de Melhor Ator e a Associação de Críticos Estrangeiros de Hollywood garantiu seu primeiro Globo de Ouro pela sua excelente performance.

Trabalhou novamente com a filha no faroeste inédito no Brasil “South of Heaven, West of Hell”, em 2000. Atuou no drama A Paixão de Ayn Rand, ao lado de Helen Mirren, papel que lhe rendeu seu segundo Globo de Ouro de Melhor Ator.

Fez participações especiais em E.R. – Pantão Médico, CSI – Nova York, Lista Negra e na nova versão de Havai 5-0. Ao avaliar sua carreira, esse jovem nova-iorquino conquistou o respeito de todos aqueles que o viram subir no palco e depois, mergulhar no impossível, ao fazer sua carreira através do cinema independente e sobrevier a todas as indas e vindas dessa decisão.

Jane Fonda, que estava com ele em seus minutos finais vítima de uma luta perdida contra o câncer de pulmão, disse que seu ultimo gesto foi sorrir para a irmã.

Peter partiu sem destino…

Comente via Facebook!
Categorias
FilmesNotícias

Ver também