Sondra Locke falece

In Memoriam – Sondra Locke (1944 – 2018)

Ela parecia uma personagem frágil dos primeiros filmes com Clint Eastwood, mas sua relação com o cinema e a televisão mostraram uma mulher forte e lutadora.

Ela parecia uma personagem frágil dos primeiros filmes com Clint Eastwood, mas sua relação com o cinema e a televisão mostraram uma mulher forte e lutadora.

Sondra Locke teve seu primeiro trabalho no cinema lhe deu a primeira e única indicação ao Oscar. O filme, lançado em 1968, era Por que Tem de ser Assim?, adaptação do livro de Carson McCulles sobre o relacionamento entre uma jovem descobrindo a vida e o inquilino de seus pais, o Sr. Singer (Alan Arkin) que era surdo-mudo. O filme mostra a preconceituosa sociedade americana de uma típica cidade do interior no começo dos movimentos dos Direitos Civis.

Indicada ao Oscar

A indicação ao Oscar foi o que Sandra Louise Smith, seu nome de batismo, para abraçar totalmente a carreira de atriz. Começou a ser chamada para participar de outros filmes e séries de TV. Durante o começo dos anos 70, Sondra participou das séries com Galeria do Terror, O FBI, Kung-Fu, Planeta dos Macacos, Barnaby Jones, Cannon e Joe Forrester.

No cinema

Mas sua presença na tela dos cinemas foi marcante quando começou a trabalhar ao lado do futuro companheiro, Clint Eastwood. Com Clint, ela trabalhou em seis longas-metragem começando com Josey Wales – O Fora-da-lei (1976), seguido por Rota Suicida 1977), Doido para Brigar… Louco para Amar (1978), Bronco Billy (1980), Punhos de aço: Um Lutador de Rua (1980), e uma aventura do policial durão Harry Callahan (Dirty Harry), Impacto Fulminante (1983).

Com o fim do relacionamento com Eastwood, Sondra começou a se dedicar à direção de filmes, mas não conseguiu decolar. Aliás, em 1989, ela processou Clint Eastwood e a Warner Bros por conspirarem para sabotar seu trabalho como diretora. Todas as ações acabaram sendo resolvidas fora dos tribunais. Ela acabou publicando um livro sobre sua luta contra o câncer, ironizando o título original de um dos grandes sucessos de Eastwood, The Good, The Bad and The Ugly (Três Homens em Conflito): The Good, the Bad, and the Very Ugly – A Hollywood Journey, publicado em 1997.

Seu mais recente trabalho no cinema foi ao lado de Keith Carradine, Ray Meet Helen, dirigido pelo consagrado Alan Rudolph (Pensamentos Mortais). Sondra estava fazendo um novo tratamento contra o câncer, quando teve uma parada cardíaca. Um luta que ela não conseguiu vencer…

Comente via Facebook!
Categorias
FilmesNotícias

Ver também