[CRÍTICA] Star Wars: O Despertar da Força – Sem Spoilers!

STAR WARS: O DESPERTAR DA FORÇA Crítica 100% Sem Spoilers!  Star Wars é muito semelhante ao Papai Noel. Quando se é criança é a coisa mais incrível do mundo e uma fonte...

STAR WARS: O DESPERTAR DA FORÇA
Crítica 100% Sem Spoilers! 

Star Wars é muito semelhante ao Papai Noel. Quando se é criança é a coisa mais incrível do mundo e uma fonte infindável de alegria, quando crescemos, e inevitavelmente entramos na fase adolescente rebelde, o comercialismo e o processo criativo voltados inteiramente para vender mais merchandising nos deixa cínicos e achando que tudo no mundo é uma merda. Quando nos tornamos adultos e vemos o sorriso que a ideia traz no rosto das crianças, entendemos seu valor e voltamos a apreciar.

Star Wars: O Despertar da Força, para o adulto de plantão, é uma jornada garantida de diversão e surpresas para a criança que existe em todos nós. Prometo aqui, na medida do possível, não falar nada sobre a trama ou os personagens.

Sem sombra de dúvidas, o filme é uma obra composta por uma associação muito especial de indivíduos. Pessoas que estiveram envolvidas na trilogia original, tanto na frente quanto por trás das câmeras, cujas contribuições ajudaram a saga a se tornar a maior da história do cinema, se juntam a uma nova geração de verdadeiros fãs apaixonados por Star Wars. Os novos talentos surgem na tela evidentemente influenciados pelos eventos que aconteceram muito tempo atrás, em uma galáxia distante. Há uma temática muito singela, de gestos e momentos, onde podemos ver a antiga geração seguramente transmitindo as responsabilidades para a nova.

A direção de J.J. Abrams está impecável! Os elementos visuais se enquadram muito bem no universo Star Wars, mas o diretor não busca imitar enquadramentos de outros diretores que participaram da saga. De certa forma, a essência da trilogia antiga está aqui, porém evoluída, tanto visual quanto tematicamente. Os elementos clássicos e universais de ‘bem contra o mal’ são intensificados quando deixamos de lado as explicações infindáveis que George Lucas ofereceu nos Episódios I a III. Agradecidamente, a mentalidade de “mostre, não conte” volta a reinar na Galáxia.

O filme é perfeito? Como todos os demais Star Wars: Episódio VII tem seus problemas. Alguns elementos narrativos parecem apressados e, em certos momentos, a trama perde um pouco de fôlego. Isso torna o filme ruim? Nem um pouco! Como este humilde autor disse no começo do texto: é um filme que trará um sorriso no rosto de qualquer criança, não importa a idade. É um universo onde sentimos na pele a ameaça que a Primeira Ordem representa e a esperança que nossos heróis trazem, onde vibramos com cada vitória e choramos com cada derrota. É uma grande aventura, onde todos os fãs, velhos e novos, se sentirão em casa e, naturalmente, com um sorriso no rosto.

Para aqueles preocupados se para ver Star Wars: O Despertar da Força é necessário assistir todos os demais filmes, não se preocupem, assim como Episódio IV: Uma Nova Esperança, quem não é familiarizado com a franquia consegue entrar muito bem na trama. O longa estreia dia 17 de Dezembro nos cinemas. 

[alert type=red]QUE A FORÇA ESTEJA COM VOCÊS![/alert]

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
Criticas

Ver também