Transformers 4 – A Era da Extinção: Prepare-se para ficar mais burro!

Confira a nossa resenha de Transformers 4 – A Era da Extinção… Antes de começar a resenha de Transformers 4 – A Era da Extinção, vou contar uma historia....

Confira a nossa resenha de Transformers 4 – A Era da Extinção…

Antes de começar a resenha de Transformers 4 – A Era da Extinção, vou contar uma historia. Uns tempos atrás, um ex-amigo meu namorava uma chinesa. A família dela era proprietária de um restaurante de comida chinesa no bairro da Liberdade que era razoavelmente popular. A garota desistiu do namoro e deu uma sumida, infelizmente, o rapaz, obsessivo e iludido, insistia em ir todo santo sábado no restaurante dela para tentar reconquistá-la, e de quebra, me arrastava junto para… sei lá, apoio moral. Uma ida lá, a comida do lugar me deu uma violenta caganeira que me debilitou por dias. E essa foi só a segunda pior coisa que um chinês fez comigo. A primeira foi descobrir que este filme foi um sucesso de bilheteria por causa deles…

Enfim, Transformers 4 – A Era da Extinção começa cinco anos após o último filme e a destruição da cidade de Chicago. Um novo grupo secreto da CIA chamado de… Vento de Cemitério tem caçado todos os Transformers independente se for Autobot ou Decepticon e recolhido seus corpos para estudar e desenvolver Transformers artificiais controlados por humanos. Um foragido Optimus Prime encontra Cade Yeager (Mark Walhberg), um cientista (de novo, interpretado por Mark Wahlberg) e juntos vão… sei lá, rodar por aí explodindo coisas. Ah, os humanos trabalham junto com caçadores de recompensa intergaláticos liderados por Lockdown, que supostamente trabalha para os criadores dos robôs. E bom… é isso…

Transformers 4 - A Era a Extinção

Antes de começar a rasgar o toco no filme, vamos falar dos aspectos positivos. O design dos robôs ficou melhor, mais fácil de entender e cada Transformer ficou mais característico e não parecem mais várias pilhas de sucata fazendo suruba. A cena dos Dinobots, por mais que não faça muito sentido sua origem, é divertida e para fãs da série vai dar uma leve empolgada.

Transformers 4 - A Era a Extinção___

Agora as partes ruins. O roteiro é cretino, sabemos que falar isso em um filme do Michael Bay é chutar cachorro morto, mas esse longa se supera. O diálogo varia entre ser completamente batido, manjado e escrito nas coxas. As cenas de ação além de ser mais do mesmo são absurdamente longas. As perseguições de carro também. A duração dessa porcaria é 165 minutos. 165 MINUTOS! Isso que o enredo tem menos páginas que pornô vagabundo da Brasileirinhas. Mark Walhberg interpreta um cientista. Os feitos de explosão são exagerados e cansativos. Mark Wahlberg interpreta um cientista. Até a direção de Bay que costuma ser própria aparece preguiçosa e pouco inspirada. Ah, Mark “MARKY MARK” Wahlberg interpreta um cientista.

Transformers 4 - A Era a Extinção

Transformers 4 – A Era da Extinção deu certo na bilheteria porque ao contrário dos demais longas do diretor, ele mostrou o governo e exército americanos como mesquinhos ou incompetentes ou simplesmente cruéis enquanto vangloriou o governo chinês e seus valores. Talvez essa porcaria de desperdício de quase 3 horas de vida foi um grande projeto para evitar a terceira guerra mundial com a China. Se for isso até que é louvável, se não… evitem esse filme, esperem mais um tempo para ver Planeta dos Macacos: O Confronto ou Guardiões da Galáxia. Ao menos que você tenha fortes tendências masoquistas e sua dominatrix esteja de férias…

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
Criticas

Ver também