[CRÍTICA] Trilogia dos Espinhos

Esqueça Crônicas de Nárnia e O Senhor dos Anéis e prepare-se para conhecer Jorg Ancrath, o príncipe maldito da Trilogia dos Espinhos. Seu mundo não é um lugar de...

Esqueça Crônicas de Nárnia e O Senhor dos Anéis e prepare-se para conhecer Jorg Ancrath, o príncipe maldito da Trilogia dos Espinhos. Seu mundo não é um lugar de nobres missões e grandes aventuras, é uma terra cruel, repleta de guerra e pesadelos e só um homem sem escrúpulos consegue sobreviver.

Jorg é o herdeiro do trono do reino de Ancrath, um dos 100 reinos em guerra pelo trono do império. Seu pai é um homem cruel e frio que respeita a força acima de tudo. Quando o jovem príncipe, sua mãe e seu irmão são emboscados por soldados na estrada, ele perde tudo que amou. Sua mãe é brutalmente estrupada e seu irmão tem seu crânio rachado contra o pavimento. Jorg, indefeso, permanece preso em um arbusto de espinhos sobrenaturais que não deixa que ele se solte pra ajudá-los. Desiludido com a indiferença do pai, ele se junta a um grupo de criminosos da estrada e passa anos de sua vida espalhando o caos pelos reinos. Assombrado por um passado traumatizante, Jorg é um dos personagens mais interessantes da literatura da fantasia, completamente amoral, ele sacrifica seus companheiros sempre que é conveniente para atingir seus objetivos.

O mundo da trilogia é repleto de seres sobrenaturais, criaturas mutantes, assombrações e magos que controlam diferentes vertentes da realidade. E todos se tornarão aliados ou inimigos de Jorg em sua sanguinária missão de conquistar o trono do império.

“Guerra, meus amigos, é uma coisa bela. Aqueles que dizem o contrário não sabem o que estão perdendo.” – Jorg Ancrath

O primeiro livro da série, Prince of Thorns foca na busca de vingança pela sua família assassinada e a necessidade de rivalizar seu pai em termos de poder e terras. Jorg conquista seu primeiro reino e começa a entender as forças misteriosas que manipulam reis e guerreiros para motivos desconhecidos. Aqui, Jorg ainda é um garoto de 14 anos, mas já mostra sua inteligência incomparável e sua criatividade para atos de crueldade em busca da conquista de seus objetivos.

No segundo livro, King of Thorns, Jorg já é rei e conhecido pela sua destreza e grandes feitos (e sua contagem astronômica de mortos). Ele se torna o alvo do príncipe de Arrow, o que em qualquer outra trama, seria o grande herói e protagonista. O príncipe é um homem de cultura, carismático e com grandes sonhos de uma unificação pacífica dos reinos em busca de um amanhã melhor. Naturalmente, Jorg o odeia e vai fazer de tudo para colocar esse infeliz em uma cova. Aqui, a narrativa alterna entre flashbacks e o momento atual do conflito mostrando mais aventuras do passado criminoso de Jorg e de suas descobertas sobre as estranhezas de seu mundo. Nesta história, começamos a entender melhor qual é o mundo onde o jovem rei habita e qual a sua origem. E diga-se de passagem, é uma visão extremamente original de algo que já foi feito diversas vezes.

Finalmente, o terceiro livro da saga, Emperor of Thorns mostra um Jorg mais adulto, menos vingativo, porém não menos cruel quando necessário e sua marcha para o grande congresso de reis para determinar o novo imperador. Aliados e inimigos correm desesperadamente para testemunhar o evento que, ao contrário dos demais, Jorg não quer assumir o trono para ganhar mais poder, mas sim, para evitar um grande desastre que irá destruir a própria realidade. Mesmo mais maduro, o candidato a imperador continua com suas táticas maléficas e sua total falta de escrúpulos para conquistar aquilo que deseja.

Uma história repleta de personagens marcantes que lutam e interagem em um mundo de fantasia diferente de tudo que você já viu. Não entre nessa aventura buscando nobres cavaleiros salvando donzelas, mas isso não quer dizer que Jorg não é um dos personagens mais interessantes que você já viu. E se o rapaz tivesse nascido em Westeros a guerra do trono teria durado umas 3 semanas antes de todo mundo decidir que seria melhor curvar aos seus pés do que ter todos os seus súditos aniquilados.

Para você que busca uma história contada sob a perspetiva do “vilão”, fica aqui uma recomendação. A primeira edição da trilogia já foi lançada no Brasil pela Editora Darkside em 2013.

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
Games & HQ'sLivros

Ver também