True Blood – 7ª temporada – Ep 07 – May Be the Last Time

Com só mais 3 episódio, True Blood segue sem grandes resoluções! Geeeeente! Alguém avisa a produção da HBO que só faltam 3 episódios para acabar a série? A Hep-V...

Com só mais 3 episódio, True Blood segue sem grandes resoluções!

Geeeeente! Alguém avisa a produção da HBO que só faltam 3 episódios para acabar a série?

A Hep-V de Bill está se alastrando muito rápido e Sookie e Jessica não sabem quanto tempo ele terá de vida. Sookie chama a duende curadora, Dra. Ludwig, para dar uma olhada e a mesma explica que não há milagre para tratar Bill. Sookie resolve que não vai desistir e apela para seu bisavô fada, mas infelizmente Niall também não pode curá-lo.

Os cansativos flashbacks de Bill finalmente foram bem usados. Ontem o episódio contou como ele se casou com Caroline antes de virar vampiro. O casamento foi arranjado, mas logo de cara os dois se encantaram. A lembrança contou também como Bill se sentiu ao ter sua primeira filha. Sookie tem acesso às estas memórias e passa a entender o significado da “vida” e percebe, de fato, que seu tempo ao lado de Bill está no fim. Durante toda essa temporada, Bill tem sido um personagem bem pouco estimulante para o telespectador, estão de alguma forma fazendo sua redenção após uma sanguinária e violenta sexta temporada. O fato é que Sookie não terá mais tanto tempo ao lado do seu primeiro amor, logo…

Arlene está só! Seu bar vazio e seu coração sem alguém para esquentar. Depois de um sonho picante com o vampiro Keith (que a salvou da morte), ela começa a pensar se não está na hora de ser feliz novamente. E talvez o vampirão de 515 anos irá conquistar essa coroa de uma vez por todas. Mesmo não sendo uma personagem principal, Arlene tem seus méritos por ter conquistado o público com suas atrapalhadas amorosas. Após toda a confusão com Terry, a audiência torce por seu final feliz.

Já bem longe de Bon Temps, Eric recebe a proposta de ser sócio da empresa que sintetizará o sangue da Sarah em “New Blood” para curar todos os vampiros doentes. Apesar do risco e de ainda terem que caçar a fugitiva, Eric não se vê com outra opção a não ser aceitar a oferta. Enquanto isso, Sarah se refugia no antigo acampamento da igreja e tem alucinações com seu ex-marido, Steve, seu ex-professor de Yoga, o Guru Sanbir Dutta  e seu ex-amante, o Jason!  Ou seja, tá louquinha, louquinha!

Esse núcleo da temporada está bem desconexo. De um lado um líder da Yakuza que era dono de uma fábrica de True Blood, do outro Eric doente e Pam de “dama de companhia” apenas para soltar seus ácidos, porém ótimos, comentários. A busca pela Sarah está super lerda e dá tempo até de tirar um cochilo e escolher seu pior chapéu de cowboy. E para apenas “mostrar” a insanidade da vilã, ela tem alucinações aleatórias com sua morte.

Um outro lado da season finale que está totalmente out do escopo esperado é o de Andy e Holly. Seus filhos se apaixonaram e descobriram o sexo. Agora só pensam em se amar, fogem dos pais, Violet ajuda e os leva para uma mansão recheada de apetrechos sexuais. Além disso, ela ainda os coloca num quarto com todos os acessórios e graças ao poder de ler a mente, Adilyn descobre que seu namorado não sabe nem usar tudo aquilo. Tá…..vamos por partes:

1. Violet tem uma casa-sex-shop, porque caramba ela não levou o Jason para morar lá ao invés de transformar o porão do rapaz num quarto mal decorado?

2. Qual é o interesse de Violet no jovem casal adolescente? Ela quer a fada? Ela quer ele? Ela quer os dois?

3. Porque interessa para a audiência saber detalhes da vida sexual dos jovens?

Vamos continuar: Hoyt está de volta e acompanhado. Com a notícia do falecimento de sua mãe, ele retorna para a cidade para reconhecer o corpo. Com a memória apagada, Jason é seu único contato para saber detalhes do assassinato dela. Mesmo confuso, Jason omite o que aconteceu numa tentativa de se redimir e de transformar sua mãe em uma “boa lembrança” para o amigo. Decisão esta, bem fraca e frustante se pensarmos em tudo o que a mãe de Hoyt foi ao longo da história. Já que a vida segue tranquila e sem a Violet por perto, que tal limpar o chão?

Alguém vai reclamar deste take? Eu achei necessário para dar um clima mais leve e definido para o episódio! E uma última observação: Cadê os infectados que causaram nos primeiros episódios? Sumiram do nada…..cade produção? Cade?

Até a próxima

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
Críticas

Ver também