Vamos falar de ‘Verdades Secretas’?

A Rede Globo colocou os preconceitos de escanteio e investiu em um projeto do autor Walcyr Carrasco para lá de polêmico. Em Verdades Secretas, a “novela das onze” da...

lady_freak_contra_ataca
A Rede Globo colocou os preconceitos de escanteio e investiu em um projeto do autor Walcyr Carrasco para lá de polêmico. Em Verdades Secretas, a “novela das onze” da emissora, acompanhamos a história de Alex (Rodrigo Lombardi), um milionário – ou bilionário – solteiro que leva uma vida de luxo e luxúria. Dono de uma holding (empresa dona de várias empresas), uma de suas frentes de atuação é no mercado de confecção. Por meio desta empresa, chegamos em Fanny Richards (Marieta Severo), que deixou de lado as humildes raízes de Dona Nenê (A Grande Família), para viver uma gananciosa dona de uma agência de modelos não tão conhecida.

Para alcançar o sucesso em seu negócio, Fanny arrecada fundos adicionais com o tal Book Rosa, que nada mais é do que um nome da indústria para modelos que tiram uma grana extra como garotas de programa. Sim, o tema central de Verdades Secretas é a prostituição e a cafetinagem. Os principais alicerces desta trama não são esquecidos pela audiência em crítica, e sim tampados com a peneira para dar foco ao drama e romances.

Uma inocente garota de 16 anos se muda do interior para a cinza capital paulista. Chegando lá, leva uma vida sem grandes ambições. Sua beleza e ingenuidade chamam a atenção de Fanny. Arlete (Camila Queiroz) então vira Angel e, da noite para o dia, surge a necessidade de quitar uma dívida da família que a leva até Alex, um homem tão poderoso quanto sua cafajestagem sem limites que o permite querer apenas se relacionar com as mais belas das belas, inclusive as meninas do Book Rosa.

Angel entra em um túnel sem saída. Cercada de descobertas que só o dinheiro traz, ela se envolve com Alex, espera as promessas de um conto de fadas, mas a realidade do executivo a tira do jogo em uma virada inconsequente. Até o momento em que Alex percebe que ama uma menor de idade. A casa começa a cair quando nos deparamos com mais segredos. Fanny é casada/namora com um modelo veterano, Anthony (Reynaldo Gianecchini) que sonha em ser famoso. Sua agência é sustentada pelos trabalhos extras das meninas e Angel… bem, Angel vai se foder– literal e metaforicamente – com o Alex que é capaz de fazer de TUDO para tê-la de volta.

A novela, que começou em junho deste ano, já passou de sua metade. No momento, acompanhamos um casamento de fachada de Alex com Carolina (Drica Moraes), a mãe de Angel, para mantê-la sob seus olhos e mãos. Fanny prostituiu seu próprio companheiro por um trabalho que traria prestigio para a agência, E Anthony está de caso com a filha de Alex, Giovanna (Agatha Moreira) que sabe do caso dele com Arlete e que já usou desta verdade secreta para chantagear o pai. Enquanto Carolina sofre com a ausência sexual de Alex, sua mãe, Hilda (Ana Lúcia Torres) e vó de Angel, evita um casamento porque vai morrer; Pia (Guilhermina Guinle), a ex esposa de Alex, aborta em uma clínica ilegal para não perder a gorda “mesada” de seu ex-marido e Grazi Massafera dá vida à uma viciada em crack. E com tudo isso, Verdades Secretas só é citado por causa do maldito Book Rosa? Sério mesmo?

Com uma direção primorosa e atuações realistas, a novela da Globo simplesmente incomoda e incomodou muita gente. Profissionais do mercado da moda, e agenciadores de modelos, se revoltaram com o tom sensacionalista abordado pela novela que acabou acordando um gigante adormecido nos principais jornalistas e críticos de plantão. O tal Book Rosa virou tema de programas de auditório, entrevistas e reportagens. Nunca se questionou tanto a tal prostituição vinda de uma empresa quanto a “tradicional” vinda das ruas. Uma hipocrisia esperada quando envolvemos a palavra “modelo” no meio, que desmerece as verdadeiras profissionais e ridiculariza as que se dizem modelo apenas para ganhar a vida com sexo. Então o julgamento fica em cima do muro: é modelo ou puta?

Verdades Secretas lida com temas muito mais importantes. A audiência alienada começou a prestar atenção na novela após a emissora ser corajosa de lidar com um dos tabus que mais fascinam o brasileiro: a prostituição – mas de uma forma até então “não vista”, vinda de agências de modelos. O sexo é o escambo mais antigo da humanidade. Mas quando envolve dinheiro é ilegal ou amoral. Fácil criticar né?

Alex é um quarentão cujas atitudes não tem limite quando o assunto é a menor de idade que ele está apaixonado. Sua própria filha, menor de idade que também fazia Book Rosa, o chantageia para ser emancipada, e para que? Para sair do país com seu amante trintão que é casado com a Fanny, a cafetina. É compreensível que meio ao drama da trama em geral, a mulher que se vende como modelo, mas que é garota de programa, vire o centro das atenções, já que criticar a ilegalidade do aborto e os riscos envolvidos com mulheres que buscam este serviço na clandestinidade ou o relacionamento entre homens mais velhos e menores de idade requer mais culhão. Aqui fica o grande desafio da emissora. Será que a Globo dará um final feliz para os relacionamentos que muitos torcem ou Walcyr Carrasco dará uma grande reviravolta na história punindo seus “príncipes encantados”?

Novela é entretenimento, mas ainda assim Verdades Secretas não se reprime ao mostrar a triste realidade da cracolândia e muito menos a putaria. Só que desde que o mundo é mundo, a profissão mais antiga da humanidade sempre retorna ao palco da hipocrisia. E aos moralistas de plantão que me perdoem, mas drogas e sexualidade infantil também merecem a atenção dos defensores dos politicamente correto. Verdades Secretas é um projeto ousado, muito bem dirigido, com uma fotografia digna de comparação a projetos internacionais e com um elenco de qualidade. Há anos não via a Tia Globo reunir talentos de verdade para expor temas, até então, do Profissão Repórter em uma versão mais arrojada. O grande ponto é esta novela está encravada no maldito jargão: “falem bem ou falem mal, mas falem de mim”. E enquanto as mentes dos expectadores não estiverem livres de preconceitos e abertas a novas provocações pessoais, será mais fácil bater no peito para julgar a ilegalidade do Book Rosa e tornar Walcyr Carrasco um grande vilão.

Afinal, a prostituição é a troca de dinheiro por favores sexuais. E sabendo que mesmo com a ilegalidade da cafetinagem e da prostituição de menores, o que podemos dizer de Alex que cria um casamento de fachada em troca de aproximar seu objeto de desejo, uma menor de idade, para sua vida? Então espera, será que Book Rosa merece mais atenção do que pedofilia?

Melhor terminar esse texto por aqui.

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
OpiniãoSéries

Ver também